Buscar

Jackson Coutinho e Pérsio Oliveira Landim passam a compor quadro diretivo da EJE.

No ano de 2020, a EJE realizou uma série de cursos para capacitar servidores, magistrados, advogados, contadores, representantes partidários, jornalistas e todos os profissionais envolvidos com a pauta eleitoral.


A Escola Judiciária Eleitoral de Mato Grosso (EJE-MT) possui dois novos membros em sua diretoria. Neste mês de março, o juiz - membro do Pleno do TRE-MT Jackson Francisco Coleta Coutinho assumiu o cargo de vice-diretor, antes ocupada pela desembargadora Marilsen Andrade Addário, e o juiz-membro substituto do Pleno Pérsio Oliveira Landim assumiu a cadeira de Conselheiro Consultivo da EJE.


“Me sinto muito honrado em assumir este cargo. Os desafios de minha vida não os temo porque Deus está sempre comigo. Darei o melhor de mim para tentar elevar ainda mais o nome da EJE-MT, aprimorando o conhecimento dos servidores, juízes, advogados, e principalmente, alunos de faculdades que não têm em sua grade curricular a matéria de Direito eleitoral”, destacou o novo vice-diretor Jackson Coutinho.


Para o novo conselheiro, Pérsio Landim, é importante que sejam realizadas parcerias institucionais para o contínuo crescimento da EJE. “Fiquei muito feliz pela escolha, em poder contribuir com a EJE, juntamente com colegas o qual tenho admiração e respeito. Pretendo sugerir a realização de trabalhos em parcerias com as escolas de outras instituições, como a do TJMT, OAB, TCE, Defensoria Pública, Polícias Civil e Militar, integrando conhecimento e sempre ampliando o público possível. Garanto que darei o meu melhor, trabalhando e contribuindo para fazer com que a EJE possa alcançar suas metas”.


Em sua fala, o diretor da EJE, Bruno D'Oliveira Marques, ressaltou que ambos chegam prontos para os novos desafios da instituição. “A pandemia trouxe transformações importantes na EJE. Ao longo do último ano precisamos adotar o caminho da tecnologia, das capacitações a distância, focar na maior integração entre sede e Zonas Eleitorais do Interior. Acredito que o resultado tem sido muito positivo, porém precisamos avançar. Temos a expectativa da aprovação de um novo código eleitoral, de muitas mudanças legislativas e regulamentares para o próximo pleito, principalmente devido à intensificação do trabalho em ambiente virtual. A EJE tem monitorado a situação e tão logo sejam aprovadas mudanças irá oferecer novos cursos”.


No ano de 2020, a EJE realizou uma série de cursos para capacitar servidores, magistrados, advogados, contadores, representantes partidários, jornalistas e todos os profissionais envolvidos com a pauta eleitoral. Foram realizados os cursos:


Análise de Prestação de Contas de Campanha Eleitoral - Eleições 2020

Aspectos relevantes da Propaganda Eleitoral - Eleições 2020

1º Seminário Eleitoral Preparatório para Jornalistas

Abuso de Poder e Condutas Vedadas a Agentes Públicos nas Competições Eleitorais

Ações Cassatórias

Financiamento de Campanhas e Prestação de Contas Eleitorais

Ciclo de Debates em Direito Eleitoral

Curso de Registro de Candidaturas

Curso de Propaganda e Pesquisas

III EnPrática – Práticas partidárias relacionadas com a Justiça Eleitoral


A EJE


A Escola Judiciária Eleitoral Desembargador Palmyro Pimenta foi criada por meio da Resolução TRE-MT nº 500/2003 no dia 18 de março de 2003, instalada em 5 de abril de 2005 e, em 30 de novembro de 2005, iniciaram-se suas atividades.


A Escola Judiciária Eleitoral (EJE) está vinculada à presidência do TRE-MT e tem como finalidade a atualização e a especialização continuada ou eventual em Direito, notadamente em Direito Eleitoral para magistrados, membros do Ministério Público Eleitoral, servidores da Justiça Eleitoral, advogados e outros interessados, bem como o desenvolvimento de ações institucionais de responsabilidade social e de ações de estímulo ao estudo, à discussão, à pesquisa e à produção científica em matéria eleitoral.


jornalista Daniel Dino

Assessoria TRE-MT


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo